quarta-feira, 3 de junho de 2009

Análise do Livro Édipo Rei

Édipo Rei é uma tragédia grega que se passa na cidade de Tebas e foi escrita pelo grande poeta e dramaturgo Sófocles.

A história gira em torno dos seguintes personagens: O rei Édipo, o Sacerdote, Creonte, Tirésias, Jocasta, um Mensageiro, um Servo e o Coro. E foi escrita em forma de peça teatral que encanta a todos em alguns momentos.

A mais dramática tragédia de Sófocles é a que mostra a lenda do infeliz rei tebano, cujo nome ficou ligado aos dois crimes que maior terror causaram aos gregos.

A análise da obra desperta curiosidade e emoção quando Édipo não consegue fugir do seu destino de matar o próprio pai e casar-se com a sua mãe.

Laio e Jocasta, no intuito de evitar a realização da profecia, ordena a morte de seu primogênito em vão, pois o encarregado de tal feito com pena da criança leva-o à uma terra distante, onde Édipo é criado por pais adotivos. Como a fatídica história descreve, ao consultar um oráculo e revelado a Édipo seu triste destino. Pensando em poupar os pais adotivos, abandona-os e retorna a Tebas. Porém nesta caminhada de regresso encontra-se Édipo e o pai Laio, sendo este protagonista de uma discussão, culminando no assassinato de Laio pelo próprio filho sem que este saiba que parte da profecia estava sendo cumprida. Chegando a Tebas, Édipo conhece Jocasta e casa-se com ela finalizando-se ai o cumprimento do seu destino. Os deuses gregos indignados contra esse incesto, feriram os tebanos com uma peste que só cessou quando o rei Édipo descobriu que o oráculo estava correto. Desesperado ele arrancou os próprios olhos, ao mesmo tempo em que Jocasta se suicidava.

Verifica-se que Édipo se tornou um rei muito prepotente e tirano que não conseguiu perceber que Tirésias, um cego adivinho, lhe mostrava claramente toda verdade sobre a profecia.

Jocasta também nos apresenta sob um aspecto digno de atenção, por sua incredulidade, pela serena imparcialidade com que recebia as respostas pela morte de Laio. Nota-se que ela sucumbiu-se a uma grande fraqueza não suportando o destino que lhe foi imposto.

O herói de Sófocles fica ciente de haver cometido dois crimes abomináveis, sabe que os cometeu inconsciente e involuntariamente, e não protesta, como seria de esperar, contra essa crueldade.

Assim sendo, Sófocles mostra nesta tragédia grega que nenhuma criatura humana pode escapar do seu destino que se encontra previamente traçado.


BIBLIOGRAFIA

SÓFOCLES E ÉSQUILO – Rei Édipo, Antígone e Prometeu Acorrentado – São Paulo, Ediouro, 1950, 397p.

3 comentários:

JORDANY ALVES disse...

Adorei o blog ... bjinhos Jordany Alvez - Itz-Ma

JORDANY ALVES disse...

Adorei o blog bjinhos

JORDANY ALVES disse...

Adorei o blog bjinhos