terça-feira, 2 de junho de 2009

A PRAGA

Na cidade de Felicidade do Oeste, encontra-se uma casa com uma simples família muito triste que não tem felicidade.
Esta pequena e simples família vive pensando numa tragédia que marcou todos os descendentes desta família.
A família Vigas vive esperando a tão esperada data que voltara a marcar e destruir as suas vidas novamente.
O tataravô da família Vigas, que se chama José Vigas, passou a sua vida a trabalhar e a sonhar com um futuro promissor.
Num dia, José Vigas, passou num matagal para cortar caminho e chegar no vilarejo Santa Custodia. Neste matagal vivia uma pobre senhora que era feiticeira. Todos no vilarejo tinha medo dela. Mas José nunca teve medo de nada. José parou por acaso perto da feiticeira no matagal. Ela pediu um pouco de água. O senhor José Vigas, não quis dar água para a feiticeira. E ainda xingou a feiticeira. A feiticeira ficou com muita raiva e jogou uma praga para toda família Vigas. Ela prometeu que em todo ano impar a família passaria o ano com sede e os mais velhos morreriam com muita dor.
E a praga da feiticeira se concretizava em todo os anos impares. Sempre os membros mais velhos da família morreriam de sede.
A família Vigas a cidade de Felicidade do Oeste estavam preparados, pois, faltavam dez dias para chegar o dia 01 de janeiro de um ano impar.
A menina Rafaela Vigas ficava chorando sem parar com medo de perder os pais e os tios. Ela diz para sua mãe:
- Mamãe a senhora e o papai não podem morrer. Não tem um jeito de acabar com esta praga.
- Não, minha filha este é o nosso destino – respondeu sua mãe.
Assim passava os dias e Rafaela fica cada dia mais desesperada e preocupada com o destino de sua família.
Rafaela não conseguia dormir pensando no próximo ano que chegava.
Faltam dois dias para o fim do ano e o próximo chegar. A Rafaela e seus irmãos, tios e pais estão a cada dia mais triste.
Enquanto a cidade e em todo planeta as esperanças se renovam para o futuro ano. A família Vigas chora sempre em todos dias e momentos.
Chega o ano novo e a família invés de ficar feliz eles ficam mais triste.
Passa os dias e a família começa a ficar sem dinheiro e o poço de água da casa tem pouca água e eles começam a economizar. E acabam passando sede.
Passa um mês é a família não tem mais dinheiro e acabam com fome e sede. E cada membro mais velho sente que a morte está próxima.
A pequena Rafaela de doze anos de idade vai ate uma mãe-de-santo procurar ajuda para acabar com a praga.
A menina não quer que um membro de sua família morra. E pede ajuda com várias pessoas. E a mãe-de-santo e a sua única chance.
A mãe-de-santo faz um trabalho e descobre que há uma maneira de acabar com a praga. E diz a menina Rafaela o que ela tem que fazer para acabar com a praga.
A menina sai mais triste da casa da mãe-de-santo. Chegando em casa ela vê o seu pai agonizando na cama. A menina resolve fazer o que a mãe-de-santo a falou.
Na noite Rafaela dá um abraço na mãe, no pai, nos irmãos e nos tios. E na hora de dormir diz:
- Quero que amanhã, Deus nos livre desta praga. E tudo vai ficar em paz.
A mãe da menina pergunta o que ela está dizendo e ela responde:
- Mamãe, Deus vai nos ajudar.
A menina vai para o quarto e tranca a porta.
No outro dia a mãe de Rafaela chama-a para o café da manhã. A menina não sai do quarto. A mãe grita pelo nome da menina e ela não abre a porta do quarto.
Os tios de Rafaela derrubam a porta do quarto. Quando eles entram encontra a pequena Rafaela Vigas morta. A menina se suicidou.
A família se desespera e revoltam e se perguntam porque a menina se suicidou.
No velório de Rafaela Vigas a mãe-de-santo diz que:
- Está menina morreu para salvar sua família. Com a morte de uma criança na família Vigas no ano impar acaba com a praga que durou anos.
O pai e a mãe de Rafaela choram e sofrem por perder a sua pequenina filha. A mãe de Rafaela se revolta com esta praga que precisou acabar com um inocente para se salvar da morte.
E foi dito e feito. A praga acabou. A prosperidade na família Vigas voltou e nenhum membro da família morreu no ano impar. Mas a Família Vigas sempre chorava quando chegava um ano impar e sofre com o sofrimento que viveu a pequena Rafaela Vigas que salvou sua pequena família contra aquela terrível praga.

Nenhum comentário: