segunda-feira, 7 de setembro de 2009

Paródias-bregas nos Comerciais

A nova onda do momento é a utilização de paródias de músicas do chamado brega-pop-industrial, o que na verdade é só um nome extenso pra falar de músicas ouvidas pela classe C, seja em casa, na rádio ou mesmo ocasionalmente em barzinhos ou churrascos.

E, o melhor é que essas paródias não são mais apenas simples trilhas baixinhas servindo só de background, agora elas são elementos importantes das propagandas e constituem um narrativa sonora de destaque, que chamam e prendem a atenção do público-alvo. E aí está a grande sacada, tirar a locução chata e fazer o público se divertir com o comercial, o que consequentemente aumentará o share of mind, seja pela própria associação com a música real quando ouvida, seja pelo “boca-a-boca” do vídeo (afinal, quem nunca postou no twitter ou no seu blog, comentou no msn ou com amigos sobre alguma propaganda que achou muito legal?)

Um dos exemplos mais recentes dessa tendência é o comercial da Net Combo, que parodiou a música do Wando, que em termos de “brega-romântico” só perde pra Reginaldo Rossi.



Seguindo essa mesma linha de execução estética (cenário) temos o comercial do Neutrox, que mesmo sendo mais antigo ainda é visto e comentado até hoje no youtube.



Mas, fala sério! Mais pop que o gênero musical só mesmo o Sidney Magal. Além de estrelar o comercial do Neutrox ainda teve sua música “Tenho” parodiada para um comercial recente da Vivo.



Mas, por que tudo isso? Porque a classe C é que move a economia, porque a renda dessa classe aumentou consideravelmente segundo dados do IBGE, porque embora não seja a de maior poder aquisitivo é a de maior número de pessoas no Brasil e fazendo comerciais com os quais ela se identifica aumenta as chances desses produtos serem assimilados, lembrados e é claro, consumidos.

Um comentário:

Claudia disse...

Muitooo engraçado