segunda-feira, 2 de novembro de 2009

Sarney eu nego até o fim

Sarney e o poder da negação.

Neste ano o maior exemplo de que, no Brasil, basta negar com veemência para ser esquecido é o Senador Sarney. Houve uma enxurrada de acusações e para cada uma delas o Senador negou, negou e negou. Não fui eu foi a frase mais dita e está firme no cargo de Presidente do Senado. Os parentes e amigos nomeados continuam empregados, os atos secretos foram considerados corretos e as nomeações passaram a ser legais. Quem inaugurou este esquema de negar tudo foi o Presidente da República, em todos os escândalos em que membros do primeiro escalão do Governo se envolviam o Presidente dizia que foi traído e que não sabia de nada. E isso bastava, se não sabia de nada não havia nenhuma culpa para ser enquadrado. Agora fizeram um recadastramento geral no Senado e o Presidente da casa disse que não haverá clemência, quem estiver ganhando sem comparecer ao trabalho vai ter o salário suspenso. Só falta saber se depois de suspenso não vão liberar na surdina, pois esses fantasmas não trabalham mas conhecem muita coisa que ninguém quer que volte do além. Quando terminar o mandato do Senador Sarney ele voltará a se candidatar e ainda vai usar toda a exposição que teve na mídia a seu favor, vai dizer que muitos tentaram acusá-lo por atos que não cometeu, mas como sempre confiou na Justiça tudo ficou esclarecido e agora vai disputar a eleição de cabeça erguida. Essa é a política no Brasil, ficar calado diante das acusações ou negar e depois tudo é esquecido e segue a vida para os donos do poder que vêm exercendo há décadas. Agora o PT anunciou que vai fazer coligação com o PMDB, afinal tem a mesma ideologia e irão enfrentar juntos a batalha para se manter no poder por mais uma temporada.

3 comentários:

Augusto Namitala disse...

Falou tudo, e vai ser assim mesmo, no Brasil a democracia é só de fachada, os governantes são sempre os mesmo, só trocam de posição.
E sobre o caso Sarney, conseguimos provar mais uma vez, que a voz do povo não tem autoridade. O Brasil tem que mudar muito, e não vamos conseguir mudar diretamente na política, temos que começar a interferir na educação, no conhecimento. E blogs como o seu estão de pé pra isso, mostrar a verdade, podemos sim sermos agentes tranformadores da sociedade.
Parabéns pelo blog...

Lidia Ferreira disse...

faz lembrar Nelson Rodrigues, que recomendava à esposa adúltera: "mesmo que seja surpreendida, nua, na cama com o amante, negue, negue veementemente". e o que o Sarney fez rsrs
bjs amiga

Jakeline Magna disse...

Sarney é uma cruz... e acada dia fico mais besta... com ele e suas falcatruas... não sei ate quando eu vou me segurar... para nao invadir o Senado e tirar ele arrastado de la... rsrsr