segunda-feira, 9 de novembro de 2009

Uniban deveria adotar BURKHA como traje oficial.


A Uniban anunciou neste domingo que a aluna Geysi Vilanova Arruda foi expulsa da instituição. Com a desculpa que está "Protegendo o Ambiente Escolar". Geysi foi perseguida e humilhada por colegas da universidade por causa do vestido que usava. Teve que sair escoltada por policiais. Desta forma vemos que o Irã fica em São Bernardo do Campo. Ao expulsar a estudante Geysi Arruda, 20, a Uniban assinou o seu “atestado de incompetência”, disse Samantha Buglione, coordenadora do Cladem (Comitê Latino-Americano e do Caribe para a Defesa dos Direitos Humanos) no Brasil. Para ela, a universidade deveria promover um debate entre os estudantes, com a participação de professores. “A escola foi autoritária”, disse ela, conforme relato da Folha Online. A intolerância, hipocrisia e fundamentalismo da instituição estão expressos em uma frase do comunicado: “foi constatado que a atitude provocativa da aluna buscou chamar a atenção para si por conta de gestos e modos de se expressar, o que resultou numa reação coletiva de defesa do ambiente escolar”. A tal “defesa do ambiente escolar” também se aplica aos alunos que frequentam a instituição bêbados, aos que fumam maconha nos corredores ou dão uns “tirinhos” no banheiro? Aos alunos que fingem que aprendem e professores que fingem que ensinam? A Polícia de Costumes do Irã não faria melhor. Lá é crime a mulher mostrar o corpo e o rosto para estranhos. Usam a “Burkha” para cobrir tudo. As que são flagradas pela Polícia de Costumes são açoitadas em público. Talvez a Uniban adote a vestimenta medieval como uniforme para mulheres. Porque já condenou e açoitou moralmente a universitária. Os Talebans da Uniban mostram que setores da sociedade brasileira gostariam de voltar à Idade Média, ao obscurantismo. Culpar a vítima pelo estupro porque estava sensual e o estuprador a atacou é argumento de advogado de tarado de crônica policial da década de 50. Na visão dos Torquemadas da Universidade Bandeirante, o vestido curto de Geysi foi “flagrante desrespeito aos princípios éticos, à dignidade acadêmica e à moralidade”. Os tarados e recalcadas que quase curraram e lincharam a jovem, conforme observamos nas imagens que circularam na Internet, seguiram os princípios éticos, a dignidade e a moral dos ancestrais Bandeirantes que escravizavam, estupravam e matavam os índios que aqui viviam. Vejam qual será o novo Uniforme das universitárias da UNIBAN:

http://g1.globo.com/Noticias/Mundo/foto/0,,10322112-EX,00.jpg

Antes de terminar este post, abro o site R7, e vejo a notícia: "Uniban volta atrás e desiste de expulsar a aluna". Compreendo que com a entrada do Mec, OAB, Promotoria, revoltados com a atitude do Conselho da Uniban, o Reitor teve que admitir o seu erro e voltar atrás. Mesmo admitindo que estavam errados em expulsar a garota, a UNIBAN está marcada por um bom tempo, como Universidade que assinou seu próprio testado de incompetência.

3 comentários:

Blog Normal, mas nem tanto... disse...

Impressionante, né? To de boca aberta com a expulsão.
Tá certo que, mesmo não tendo nada de escandaloso no vestido, não é um traje apropriado.

Mas o que aconteceu? Parece loucura!
A cada dia vejo mais e mais o quanto nossa sociedade é hipócrita!

Parabéns pelo post, querida! Arrasou! =)

Lidia Ferreira disse...

E terrivel acontecer isso numa faculdade né
bjs
PS Amiga tem outro selinho para voce no meu blog

Pam Salzgeber disse...

RSRSRSRS Essa foi boa, burkha.

É verdade né.

Post Show Jake, como sempre.
Minha orkuteira predileta rsrsrs (iii Puxa Saco )

Tem selinho pra vc lá no meu blog, espero que goste.

Beijocas , Semana Abençoada