quinta-feira, 10 de dezembro de 2009

Polêmica envolvendo Saga do Crepúsculo

Como todo fenômeno, a cada dia que passa surgem mais e mais questionamentos sobre a ética e os ensinamentos da Saga Crepúsculo. Os livros de Stephenie Meyer viraram uma febre mundial e também dois blockbusters (filmes) que juntos, arrecadaram mais de 100 milhões apenas nos dias de cada uma de suas estréias. Não é à toa que pais e educadores (e aproveitadores) têm se preocupado com o que essa história pode ensinar. Um dos levantamentos mais recentes é a discussão de um tema muito importante e falado no momento, relacionamentos abusivos e violência doméstica.

A Entertainment Weekly publicou no último dia primeiro uma matéria entitulada “Are Edward and Bella in an abusive relationship?” (“Estão Edward e Bella num relacionamento abusivo?”) no site da revista, e recebeu centenas de críticas e elogios. Abaixo, vocês conferem a matéria traduzida:

“Eu sou a primeira pessoa a falar pra vocês o quão importante a série Crepúsculo é – não de um ponto de vista literário, prestem atenção, mas de um ponto de vista da leitura: estes livros fazem as crianças lerem. E ainda assim, como uma feminista e mãe de duas garotas adolescentes, eu também tenho alguns problemas com eles – especificamente, a depreciação das mulheres e dos relacionamentos. Por que é que a Bella tem sempre que ser resgatada por um homem? Será que ela não consegue se salvar ocasionalmente? Caramba – será que ela não consegue nem mesmo dirigir sozinha? (Em Lua Nova, todas as vezes que ela está em sua caminhonete com o Edward ou o Jacob, eles são os que sempre estão dirigindo.) Por que é que todos os vampiros homens têm diplomas de faculdade, de medicina e por aí vai, enquanto – ALERTA DE SPOILER DE ECLIPSE E AMANHECER!!! – Bella se casa recém-saída do Ensino Médio, com quase nenhuma palavra tendo sido falada sobre um Nível Superior? E aí, quando ela fica grávida, porque ela recusa enfaticamente um aborto, mesmo que a gravidez a esteja matando? (Deixe-me ser clara: Não estou dizendo que é errado uma mulher escolher o casamento e a maternidade, ou errado da parte dela escolher contra a faculdade. Mas Bella ainda é uma criança, mesmo em Amanhecer.) Então semana passada, em seu ótimo post, o crítico Owen Gleiberman comparou o Edward com um perseguidor. E ontem, no “Está o Team Edward Permitindo Violência Doméstica?”, Ron Hogan do GalleyCat chamou minha atenção a um post feito no LiveJournal descrevendo como o romance Edward-Bella tem todas as características de um relacionamento abusivo, de acordo com as definições feitas por um grupo nacional sobre a violência doméstica: ‘O seu parceiro olha pra você ou age de formas assustadoras? Confere. Toma todas as decisões? Confere. Ameaça te matar? No primeiro encontro…’ Hmmm. O que vocês acham?” TINA JORDAN

A melhor das respostas que o artigo recebeu, em minha opinião, foi escrita por uma tal de Rosalie:

“Tina, você sequer leu os livros? Um Ensino Superior para a Bella é falado em Lua Nova bem como em Eclipse e Amanhecer. Lembre-se que Bella usa a poupança da faculdade para comprar as partes pra consertar as motos. Edward protege Bella bem como Jacob. O único motivo pelo qual eles a ’salvam’ é porque ela não é tão forte quanto um vampiro, então ela automaticamente perderia! Aborto é discutido várias vezes pelo Amanhecer todo. Mesmo o Edward querendo tirar a coisa fora, e o Jacob sem entender por que é que os vampiros ainda não lidaram com ‘o problema’, os dois percebem que a escolha de manter o bebê é da Bella. Em Lua Nova nós também percebemos que são as mulheres que mandam. Primeiro, há Jane, que nós descobrimos ser a vampira mais poderosa, porque ela pode causar dor mental a qualquer pessoa só de olhar pra ela (em Amanhecer nós descobrimos que ela pode fazer isso com vários ao mesmo tempo). Em Eclipse nós percebemos que era Victoria quem tornava forte o clã de James. Mesmo o James rastreando muito bem, era Victoria quem sabia exatamente quando fugir. Lembre-se que James é destruído em Crepúsculo quando ele está sozinho. Ele não soube quando fugir, mesmo tendo feito um ótimo trabalho em rastrear a Bella. Aí em Amanhecer são as mulheres na frente e no centro. A Rosalie vira a verdadeira protetora da Bella, não o Edward. É a Rosalie que fica com ela e a apoia desde o começo. Quando o Jacob forma o seu bando e deixa a Leah virar sua Beta, as coisas mudam. Lembre-se de todos o caos que era parte do bando de lobos; nós descobrimos que uma vez que as rédeas são dadas à Leah, há harmonia e tudo fica em ordem entre os dois bandos. Alice é quem vai (com a ajuda do Jasper) encontrar a resposta sobre a filha da Bella. Por último mas não menos importante, Bella se torna a mais forte vampira defensora; lembre-se que ela não só consegue protger o Edward como todos os outros vampiros que foram testemunhas a favor dos Cullens. Por favor leia todos os livros antes de comentar. Oh, só mais uma coisa, quando você está apaixonada e seu coração é partido, você realmente cai numa depressão profunda. O sentimento de perda ou fracasso é muito ruim.”

Há, faço minhas as palavras dela. Aliás, a cada vez que leio a matéria em si, chego à conclusão de que a autora só pode ter escrito aquilo num tom de gozação. Só pode. Porque comparar algo tão sério como violência doméstica e falta de feminismo com a proteção exagerada do Edward e o amor exagerado da Bella só pode ser piada. Primeiro de tudo, porque eles são personagens fictícios que nem sequer se envolvem em violência doméstica, ao contrário de casos reais como o Rihanna x Chris Brown, que realmente precisam ser discutidos. Mas mais importante do que tudo, vale lembrar que o relacionamento de todas as personagens da série não podem ser normais: eles são vampiros e lobisomens, pelo amor de Deus!

Um comentário:

Carol Dias disse...

Mas como que esse povo gosta de viajar! Jeesus! É um filme apenas e o pior de tudo uma história ficticia.
Na época em que lançou Harry Potter era a mesma coisa, falavam q o filme era do demonio e tantas outras coisas e que faziam as crianças ficarem maldosa, o que é claro a mais pura viagem.
O problema não é o filme e nem a criança o problema e da sociedade geral que quer colocar culpa em outras coias para se livrar da propria culpa!