quinta-feira, 14 de janeiro de 2010

Triste história do Haiti


A história do Haiti é um monstrengo político
Depois do brutal colonialismo francês, em 1804 os escravos se rebelaram e declararam a independência, chefiados por Jacques Dessalines, logo assasinado, dizem por Henri Cristophe que se coroou como um Napoleão Negro, com todas as pompas do imperador, palácios, escravos, duques. Depois, do meio do século XIX até o século XX houve mais de 20 governantes no poder, predando o país. Em 1915 os americanos invadiram e tomaram conta até 1934 a pretexto de defender seus interesses. Logo depois chegou o assassino Duvalier, o Papa Doc, cercado de criminosos chamados tonton macoutes. Foi sucedido pelo filhinho Baby Doc que era pior e ficou até1986. Só em 1990 começou a tentativa de “democratizar” o Haiti. Aí está o nó. Como democratizar um país miserável analfabeto com raízes tribais africanas bárbaras, dominada por ditaduras corruptas que tiraram tudo do país? Haiti não é aqui, mas o Haiti é uma espantosa caricatura de contradições que existem em países da América Latina. Só que lá, tudo se passa como no fundo do inferno. Mas Deus é culpado pela miséria absoluta do Haiti? Não. O terremoto humano de três séculos foi pior. Existem tragédias de Deus e tragédias dos homens. Quando as duas se encontram temos o horror absoluto. Depois do brutal colonialismo francês, em 1804 os escravos se rebelaram e declararam a independência, chefiados por Jacques Dessalines, logo assasinado, dizem por Henri Cristophe que se coroou como um Napoleão Negro, com todas as pompas do imperador, palácios, escravos, duques. Depois, do meio do século XIX até o século XX houve mais de 20 governantes no poder, predando o país. Em 1915 os americanos invadiram e tomaram conta até 1934 a pretexto de defender seus interesses. Logo depois chegou o assassino Duvalier, o Papa Doc, cercado de criminosos chamados tonton macoutes. Foi sucedido pelo filhinho Baby Doc que era pior e ficou até1986. Só em 1990 começou a tentativa de “democratizar” o Haiti. Aí está o nó. Como democratizar um país miserável analfabeto com raízes tribais africanas bárbaras, dominada por ditaduras corruptas que tiraram tudo do país? Haiti não é aqui, mas o Haiti é uma espantosa caricatura de contradições que existem em países da América Latina. Só que lá, tudo se passa como no fundo do inferno. Mas Deus é culpado pela miséria absoluta do Haiti? Não. O terremoto humano de três séculos foi pior. Existem tragédias de Deus e tragédias dos homens. Quando as duas se encontram temos o horror absoluto. Depois do brutal colonialismo francês, em 1804 os escravos se rebelaram e declararam a independência, chefiados por Jacques Dessalines, logo assasinado, dizem por Henri Cristophe que se coroou como um Napoleão Negro, com todas as pompas do imperador, palácios, escravos, duques. Depois, do meio do século XIX até o século XX houve mais de 20 governantes no poder, predando o país. Em 1915 os americanos invadiram e tomaram conta até 1934 a pretexto de defender seus interesses. Logo depois chegou o assassino Duvalier, o Papa Doc, cercado de criminosos chamados tonton macoutes. Foi sucedido pelo filhinho Baby Doc que era pior e ficou até1986. Só em 1990 começou a tentativa de “democratizar” o Haiti. Aí está o nó. Como democratizar um país miserável analfabeto com raízes tribais africanas bárbaras, dominada por ditaduras corruptas que tiraram tudo do país? Haiti não é aqui, mas o Haiti é uma espantosa caricatura de contradições que existem em países da América Latina. Só que lá, tudo se passa como no fundo do inferno. Mas Deus é culpado pela miséria absoluta do Haiti? Não. O terremoto humano de três séculos foi pior. Existem tragédias de Deus e tragédias dos homens. Quando as duas se encontram temos o horror absoluto.
Fonte: Arnaldo Jabor
Esta crônica relata a história de sofrimento e desolação desta sofrida nação. E ainda retrata este povo sofrido, abalado por guerra civil e pobreza e agora devastado por terremoto. A dor está sendo enorme, dor de ver um povo que já sofre durante sua vida com miséria e guerras, presenciar essa enorme tragédia. Sei que não devemos interpelar Deus sobre seus planos para nós, mas hoje não me contive . Por que tanto sofrimento para um único povo que já é tão sofrido e que não conseguiu ainda um governante que realmente trabalhasse pelo bem estar de seu povo. Se os alertas foram dados e nenhuma providência foi tomada, isto só mostra o total descaso desse governo, e porque não falar também da ONU que deveria existir para defender os interesses dos povos menos favorecidos e não para se curvar aos interesses americanos. Não sei nem o que dizer, só consigo sentir uma enorme tristeza pela dor que eles estão vivendo, misturado com indignação por esse tipo de coisa acontecer aos que menos têm condições de se defender. Esperamos que o mundo se mobilize para ajudar este povo que tanto precisa de ajuda neste momento. Mas mesmo com tantas desgraças este povo é alegre, com privações extremas mas ainda a capacidade de ter esperanças. A Missão Brasileira tem papel fundamental de inspirar o sentimento da esperança. Espero que logo este povo supere todas estas privações e possa comemorar do jeito deles dançando e cantando. Que Deus proteja este povo.

2 comentários:

Jakeline Magna disse...

Aranaldo Jabor arrasa... adoroooooo

Anônimo disse...

Jack, tenho certeza que logo logo este povo tão precisado de ajuda vao superar esta catastrofe.
Deus está protegendo-os.
Rose