segunda-feira, 19 de abril de 2010

Drogas Permitidas e Proibidas

Blogueiros dando uma olhadinha no site da minha cidade o Gazeta do Sudoeste, e encontrei este Editorial transcrito pelo Prof. César de Freitas. O ilustre escritor escreve sobre a quantidade de drogas que convivemos tranquilamente no nosso dia a dia e ainda comenta experiências vividas. Um excelente texto vale a pena ler... Fica a dica!!
 
Todas são prejudiciais à saúde, umas mais outras menos, mas tudo é droga: fumo, álcool, LSD, heroína, ópio, haxixe, maconha, cocaína, anfetaminas e muitos preparados tóxicos, como crack – o mais preferido – cola, verniz e outros. O álcool, presente na cachaça, no conhaque, no uísque, no vinho, na cerveja e noutras inúmeras espécies de bebidas,bem como o fumo, especialmente o cigarro, são drogas seculares de que não se conhece nenhuma proibição legal, salvo as restrições relativas a determinados ambientes. Apesar de livres sua comercialização e consumo, são também drogas que geram dependência em seus viciados. Todas as demais são proibidas por legislação específica, com exceção de algumas, em casos especiais e a critério médico. Essa proibição custa uma fortuna incalculável no combate ao narcotráfico, na prevenção, na reabilitação de dependentes químicos e noutras providências, tanto nacionais quanto internacionais, envolvendo organismos policiais, políticos, sociais, educacionais, judiciais etc. Sem deixar de falar da corrupção e outras degradações morais. Sou conscientizado, até por experiência própria, de que fumar – assim como qualquer outro vício – faz mal à saúde. Mas às vezes “o diabo não é tão feio como é pintado”. Pode até ser uma crença herdada dos índios, mas antes da facilidade de se vacinar contra febre maleita, ou amarela e outras enfermidades, era costume entre os roceiros residentes em lugares doentios tomarem um roxo forte (cachaça com café) e fumar um cigarro de palha, de manhã especialmente, para não pegar doenças. Era um veneno servindo de antídoto contra outro veneno. Eu tive um tio, irmão de minha mãe, para mim de saudosa memória, que possuiu uma fazenda na beira do rio Lontra, sertão bruto de outrora, hoje perto da cidade de Araguaína, no Estado do Tocantins. Meu tio, Luiz de Freitas Silveira, era coronel da Polícia Militar do Estado de Goiás. Levou, de Goiânia, mais de dez homens para cercar parte da fazenda. Acamparam-se perto do rio. Todos fumavam, bebiam cachaça e tomavam café diariamente, desde manhã. Menos ele, que foi o único a ser contaminado por uma terrível enfermidade conhecida por “Febre Caladinha”. Apesar dos socorros recebidos, morreu dentro de uma semana. Era o mais sadio do clã e o que mais combatia o cigarro e a bebida. Mas hoje existem vacinas. Já não mais se precisa daqueles recursos. Por incrível que pareça, ainda há pessoas que mascam fumo e cheiram pó para se prevenirem contra gripe e outras doenças. Não sei se vale para “H1N1”. O álcool também foi culpado, / juntamente com a cocaína, / de perder sua vida alegre / a cantora Elis Regina. / E a vida de Michael Jackson? / Talvez seja a morfina!

6 comentários:

Taia Assunção disse...

Oi Jakeline vim retribuir sua companhia lá no blog. Seja sempre bem vinda. Drogas legais ou não são sempre um tema polêmico. O melhor, acredito eu é manter-se informado e longe delas. Beijocas e bom início de semana.

Luciana Klopper disse...

Nem me fala de Drogas! É uma droga mesmo!

Beta disse...

Drogas existem por todos os lados né?

bj

planetadablogueira.com disse...

Oi Jake, vim trazer uma novidade:
http://plik.com.br/planetadablogueira

Crie sua conta lá miga miga =))

Beijão, ótima semana!

alegria de viver disse...

Olá querida
Tudo é uma droga e cada vez mais são fabricadas.
Com muito carinho BJS.

Dora Regina disse...

Jake, acho as drogas ilícitas piores, qualquer casa tem, é de fácil acesso, causa tantos males quanto as ilícitas.
UM SUPER ABRAÇO!
ÓTIMA SEMANA!