domingo, 25 de abril de 2010

Luz Cuevas e Delimar #emocionante

Dia das mães chegando e o Supercine deste sábado trouxe uma história que nos reflete o poder e a força de uma mãe para provar que a sua filha Delimar está viva. O filme que se chama Procura Obsessiva( Little Girl Lost: The Delimar Vera Story) conta a história real de uma mãe, Luz Cuevas que luta para provar que sua filha não morreu em um incêndio quando era bebê. Seis anos após o desaparecimento de sua filha, Luz a reencontra com outra família e vê que ela foi, de fato, seqüestrada. Achei este filme super intenso e muito significativo. Quero ainda comentar que o filme muda alguns fatos reais desta história não sei se para emocionar  ainda mais o público, como emocionou muito está humilde blogueira. Curiosa para saber mais sobre está historia real foi buscar detalhes na web.  Encontrei que no ano de 2004 a imprensa noticiou um caso curioso ocorrido em janeiro nos EUA. Luz Cuevas uma mulher de origem hispânica, perdeu uma filha com apenas dez dias de nascida quando a sua casa em Filadélfia foi destruída por um incêndio em 1997. A investigação provou que a origem do fogo foi um "gato" na instalação elétrica; o corpo da criança não foi encontrado, e a policia concluiu que ele teria sido totalmente consumido, dada a intensidade das chamas. Os anos se passaram, Luz e seu marido Pedro tiveram outro filho, mas acabaram se separando. Um dia, Luz foi a uma festa infantil e a certa altura seu olhar bateu numa menina de 6 anos que brincava no meio dos outros.  E ela teve a certeza absoluta de que era sua filha, que estava viva. A certeza foi tão grande que ela aproximou-se da criança, fingiu que havia um pedaço de chiclete preso no cabelo da menina e deu um jeito de cortar alguns fios, que guardou num saco plástico. Em seguida, procurou um político da comunidade hispânica local, contou a sua história, e pediu um exame de DNA. O cara hesitou a principio, mas a veemência e a convicção dela eram tão grandes que ele levou o caso à policia e fez pressão até conseguir um exame. O exame não deixou dúvidas: a menina era mesmo a filha de Luz Cuevas. Havia sido raptada por uma vizinha que em seguida provocou o incêndio para ocultar as pistas. Agora definitivamente pergunto e agora? Como está mãe conseguiu reconhecer do nada a sua filha no meio de tantas crianças? Mas li assuntos sobre este caso que estudiosos comentam que este foi um fenômeno muito curioso da mente humana, chamado de reconhecimento de padrões de paternidade. No caso em questão, padrões fisionômicos, corporais, motores, porque tudo isto são características geneticamente transmissíveis. O exemplo de Luz Cuevas é ainda mais notável porque a filha raptada com poucos dias de vida, ou seja, não houvera tempo ainda para a assimilação social, o processo imitativo que decorre da convivência com os pais. Quando ela viu a menina, percebeu uma série de pequenos detalhes fisionômicos dela própria e do marido, coisas que qualquer um de nós observa em seus parentes próximos, mas a que não dá muita importância, devido ao excesso de convivência.  Luz Cuevas é uma mãe forte e lutadora que duvidou de tudo e de todos  e não perdeu a esperança de ter novamente nos braços a sua filha Delimar.  Verdadeiramente uma história emocionante e de muita força de vontade desta mãe em recuperar a sua filha, adorei.

9 comentários:

Amanda Zanqui disse...

oi! Tem selinho pra vc no meu blog! Bjs

Multiolhares disse...

Deve de ser uma dor terrível saber da perda de um filho, descobrindo estar vivo toda a luta faz sentido para uma mãe, mas também me pergunto e a criança se esta feliz com os pais que sempre conheceu , como ficam todos estes sentimentos, meu Deus coisa dolorosa de pensar
beijinhos

Silvia C. Barbosa disse...

Oi Jacke.

Menina, não desgrudei a tela da TV com esse filme. Intenso. Adorei o complemento do post. Tema bem escolhido. Eu ficava p. da vida quando a tratavam feito louca...

Beijos

JORGE S/A disse...

Oi. eu lhe presentei com um selo. Paaso no meu blog, pegue-o e faça o que deve ser feito com ele.

Marlene Oliveira disse...

Oi!
Vim lembrar-lhe que Bárbara http://livrosobrasefilmes.blogspot.com/ faz aniversário hoje! Blog LiVrOs QuE eU jÁ Li :P
Tenha um ótimo dia!

elisabete disse...

Tenho uma filha raptada desde 22/12/2002 Thaís de Lima Barros aos 9 anos e sei o que é ter sua filha roubada vi o filme e chorei junto porque vc sentir na carne é horrível não tem como descrever, mais olho pra fotos de minha princesa e peço força todos os dias a Deus.Fiquei super feliz em ver que ela tenha consequido e de que alguém confiava de que ela estava certa. Elisabete

Jakeline Magna disse...

querida elisabete quero agradecer o seu comentario, vc mais que ninguem sabe na pele o que e sentir a perca de um filho por meio de um rapto... espero que Deus lhe proteja e esteja protegendo a sua filhinha também... tenho certeza que Deus está cuidando dela... e que está cuidado de vc... força minha amigaaaaaaaaa....

Line disse...

Ainda me emociono mto com esse filme.

Silpoll@hotmail.com disse...

Parabéns a essa mãe que não pensou em opções e vez o que deveria ser feito.
Também me pergunto sobre a reação da criança. Tinha 6 anos e descobre que sua "mãe" a havia sequestrado.
Com certeza muita coisa passou pela cabecinha dela, mas... Nada melhor do que viver a verdade.
A mãe verdadeira NUNCA a esqueceu. Passou por muita dificuldade para conseguir provar que era sua filha.
Essa menina deve se sentir muito especial e amada.
Que vontade de descobrir!!