domingo, 2 de dezembro de 2012

Para o dia...

Ela queria o prazer do extraordinário que era tão simples de encontrar nas coisas comuns: não era necessário que a coisa fosse extraordinária para que nela se sentisse o extraordinário.

Clarice Lispector

Nenhum comentário: